terça-feira, dezembro 13

Qual foi a melhor colheita?

Já hoje li ali uma referência à dita geração rasca. Não foi sempre assim? Não existe sempre essa tendência de amesquinhar a geração subsequente? Não se vulgarizou a expressão “conflito de gerações” para simples e naturais diferenças de opinião?
Não é verdade, no entanto que a perda de “qualidade” de cada nova geração seja um facto.
Nós moldamos a geração seguinte. Se ela é fraca, somos nós, como pais, educadores e fundamentalmente como exemplos que falhámos naquilo que devia ser essencial: Preparar as crianças e jovens para um mundo que tentámos deixar melhor do que aquele que nos foi entregue. Um pouco a noção do testemunho. Cuspir para o ar, é uma tendência que temos, bem como a crítica fácil. Se de cada vez, que formos tentados a criticar qualquer comportamento generalizado entre as novas gerações, por ele nos sentirmos responsáveis, bem como orgulhosos quando por outro nos surpreendermos, seremos diferentes. As novas gerações também. O mundo também.
Mas… lá estou eu a sonhar outra vez, não é?

4 comentários:

Ana disse...

É... parece-me bem que sim!

amie disse...

a melhor geração é a de 78, sem dúvida!

izzolda disse...

Ah, tentar deixar o mundo melhor...se toda a gente pensasse um bocadinho nisso... :)
Tens toda a razão no que dizes! É uma questão de aceitar diferenças.

Zé disse...

O pior é que me parece que as gerações futuras vão ser mesmo muito fraquinhas, a nível de conhecimentos... Da forma como está o sistema de ensino... :(