sexta-feira, junho 29

Qual fonte, qual quê!

Porque Domingo é dia 1, porque não terei acesso à net, porque ela merece, porque eu quero, porque o Camões não percebia nada de Leonores!


Realça tudo o que conte
Leonor com ternura,
a carinhosa criatura.


Tem na cabeça o dote,
no modesto coração é grata,
faminta alma sensata.
Escrevinha num papelote
o que no ninho anote.
Nunca perde a candura,
a carinhosa criatura.


Nobre alma canta,
sentimentos de rebuçado,
que sofrem demasiado,
mas com doçura tanta,
que comove e encanta.
E só vê-la cura,
a carinhosa criatura.

6 comentários:

rascunhos disse...

Bem ...tá excelente!!!!!!!!


Que imaginação


LOL

bom fds

Vilma disse...

:))

antónio paiva disse...

.................

..... ando por aí, num enmaranhado de coisas......

e tu andas por aqui a escrever muito bem!

......................

foryou disse...

Se o Camões tivesse conhecido tamanha criatura, não tenho a menor dúvida que lhe teria dedicado a sua melhor estrofe.
Azar o dele... e o meu...

Margarida Atheling disse...

Bom... eu até acho que Camões percebia de Leonores, mas está mais do que provado que não é o único!

Bjs!

NaRiZiNHo disse...

A Margarida tem toda a raz�o :))))))))
Ai Cam�es, Cam�es, tinhas concorrente � altura ;)
:-*